Tudo Sobre CT-e - Conhecimento Eletrônica

O Conhecimento de Transporte eletrônico (CT-e) é o novo modelo de documento fiscal eletrônico, instituído pelo AJUSTE SINIEF 09/07, de 25/10/2007, que poderá ser utilizado para substituir um dos seguintes documentos fiscais:

  • Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas, modelo 8;
  • Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas, modelo 9;
  • Conhecimento Aéreo, modelo 10;
  • Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 11;
  • Nota Fiscal de Serviço de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 27;

Nota Fiscal de Serviço de Transporte, modelo 7, quando utilizada em transporte de cargas. O CT-e também poderá ser utilizado como documento fiscal eletrônico no transporte dutoviário e, futuramente, nos transportes Multimodais.

Podemos conceituar o CT-e como um documento de existência exclusivamente digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar uma prestação de serviços de transportes, cuja validade jurídica é garantida pela assinatura digital do emitente e a Autorização de Uso fornecida pela administração tributária do domicílio do contribuinte.

Modais

Atualmente a legislação nacional permite que o CT-e substitua os seguintes documentos utilizados pelos modais para cobertura de suas respectivas prestações de serviços:

  • Modal Rodoviário: Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas, modelo 8;
  • Modal Aquaviário: Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas, modelo 9;
  • Modal Aéreo: Conhecimento Aéreo, modelo 10;
  • Modal Ferroviário: Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 11;
  • Nota Fiscal de Serviço de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 27;
  • Nota Fiscal de Serviço de Transporte, modelo 7, quando utilizada em transporte de cargas.

Os documentos que não foram substituídos pelo CT-e devem continuar a ser emitidos de acordo com a legislação em vigor.

Com exceção do estado de Santa Catarina, todos os demais aderiram ao projeto, estando em fase inicial de implementação, ou até mesmo, já possuem decreto instituído para adesão voluntária.


O que temos percebido é que, mesmo que alguns estados ainda não tenham cronograma de obrigatoriedade estabelecido, os próprios contribuintes estão se mobilizando para poder aderir ao projeto o quanto antes, pois os benefícios são muitos quando confrontados com os projetos concorrentes. Com isso, as empresas desenvolvedoras de software que estão se antecipando para ateder essa demanda latente, tem ganhado mercado.

Saiba mais sobre o CT-e

NF-e 4.0: "Fabricação em Escala Não Relevante" é isento de ST

  A NT 2016.002 versão 1.20 introduziu novos campos no XML da Nota Fiscal eletrônica. Entre eles, dois campos chamam a atenção por serem de grande relevância para alguns contribuintes: Indicador de Escala Relevante (indEscala) CNPJ do Fabricante da Mercadoria (CNPJFab) Estes campos foram implementados ao leiaute da NF-e para comportar determinações da Cláusula vigésima terceira do Convênio ICMS 52/17, que concede isenção do regime de Substituição Tribut&aacut [...] Leia Mais

Documentação Técnica: Paraíba do Sul - RJ

   PADRÃO JGBAIAO Download do Manual. PORTAL Produção. Homologação (Não existia no momento da homologação) MÉTODOS DISPONÍVEIS Envio. Síncrono. Consulta de NFSe por RPS. Cancelamento de NFSe. OBSERVAÇÕES Autenticação do padrão é feita através do Login e Senha, utilizados na comunicação. Aceita envio em lote síncrono. A cada nota autorizada deve-se incrementar a numeraç& [...] Leia Mais

Componente CTe - Versão 8.7.33.57007

Novidades Compatibilizado o componente CT-e com a nova versão 3.00. Implementado melhoria na geração do CT-e redespacho, agora o grupo do remetente pode ser omitido. Alterado campo Observação do DACTE para aceitar 2000 caracteres. [...] Leia Mais